tipos de papéis

O PAPELÃO ONDULADO poderá ter inúmeras combinacões de papéis em sua composição

Conforme a utilização, aplica-se gramaturas de componentes maiores ou menores visando redução de preços ou aumento da resistencia do conjunto. A parte ondulada (miolo) sempre será produzida com papel Reciclado e as mudanças ficam na associação das capas externas e internas da composição que for utilizada.

Tipos de papéis:

Simbologia de Indentificação de Materiais para Reciclagem

A Simbologia de materiais plásticos recicláveis é a única no Brasil e no Mundo estabelecida em Norma Técnica - NBR 13.230:2008. Ela prevê a identificação de 6 diferentes materiais plásticos, e uma 7° opção quando há a mistura de materiais plásticos.

O setor de papel que sempre utilizou o símbolo ´Mobus lup´ para identificar os seus materiais, influenciou a comissão da ISO para adotar este símbolo como padrão da reciclagem, tornando-se o símbolo referência.

No Brasil, a Simbologia dos demais materiais: vidro, aço e alumínio foram estabelecidas por cada setor, sendo que mesmo não constando em Norma, se tornaram referência para estes mercados. Pelo fato de não constarem de Norma, não há padrões para a sua aplicação.

Estes símbolos têm o objetivo identificar cada material de embalagem. Como na prática esta identificação tem o fim específico de encaminhamento para programas de reciclagem, os símbolos ganharam no conhecimento popular a referência de material passível de reciclagem.

A reciclagem vem crescendo em nosso país e se tornou estratégica para toda a sociedade. Ainda, a sua separação para a reciclagem acontece por meio de cooperativas de catadores. Por este motivo, para facilitar a identificação tanto pelas cooperativas como pelos consumidores, a identificação das embalagens se tornou tão importante

Com base nisto, a ABRE orienta a seguinte aplicação da Simbologia:

Simbologia de Identificação de Materiais para Reciclagem deve ser incluída nas embalagens passíveis de serem recicladas no Brasil. Estas devem ser aplicadas somente como símbolos ou levando como texto apenas a denominação do material – exemplo: aço, alumínio, vidro, e como previsto na norma de materiais plásticos, obrigatoriamente os textos PET, PVC, PP, etc.

Juntamente com esta Simbologia que identifica cada material, deve ser aplicado o símbolo do Descarte Seletivo, que é voltado para a orientação do consumidor. Este deve ser aplicado sem nenhum texto, ou no máximo com orientações para a ação pelo ao descarte seletivo, como: ´Descarte Seletivo´, ´Descarte para Reciclagem´ ou ´Recicle´.

Ao aplicar esta simbologia não é necessário comprovar a efetiva reciclagem do material, contudo, ele deve ser passível de reciclagem e por isso a empresa fabricante do produto deve se certificar de que há tecnologia para a sua reciclagem no país.

No caso de embalagens flexíveis onde há a mistura de diferentes materiais, há diferentes interpretações com base em práticas de outros países. Há empresas que adotam a prática de colocar o símbolo do material predominante ou do símbolo de onde se inicia o processo de reciclagem. Como por exemplo, as caixinhas assépticas longa vida utilizam o símbolo do papel. Isso porque o primeiro estágio da reciclagem deste material é na indústria de papel / papelão ondulado.

Nestes casos, é importante que a empresa tenha conhecimento do processo de reciclagem do material, e trabalhe junto à indústria recicladora nos processos e tecnologias para a sua revalorização.

Já no caso da embalagem não ser passível de reciclagem no Brasil por motivos técnicos, deverá ser aplicado somente o símbolo do Anti-Litering, sem nenhuma identificação do material.

Todos os símbolos acima descritos estão disponíveis para download no site da ABRE http://www.abre.org.br/meio_simbologia.php . E recomendamos a leitura das Normas Técnicas, disponíveis na ABNT (www.abnt.org.br) e da Cartilha de Rotulagem Ambiental Aplicada às Embalagens, também, disponível para download no site da ABRE.



Fonte: ABRE - Associação Brasileira de Embalagem